terça-feira, 25 de outubro de 2011

A janta de louise parte 2

Zuleica, mulher mistica desde seus quatro anos de idade. No seu ponto de vista tudo havia um significado mistico e espiritual que ajudaria a "descodificar"(apos ver o filme "Matrix", Zuleica começou a utilisar esse vocabulario de codigos) a vida, ou seja viver sem problemas. Muitos diziam que Zuleica era meio biruta, mas ela ignorava esses "seres de espiritualidade inferior" que a chamavam assim. A partir de todos as possiveis mensagens por numeros, datas, nomes e cores, Zuleica disse que a sua idéia era de jantar para que todos pudessem discutir tranquilamente. Roberto concordou com Zuleica: "As suas conclusões misticas são muito boas, queria que todas as videntes e "mulheres de Deus" fossem assim". Zuleica agradece contente: "Ai, obrigado Roberto, como tu é gentil!, eu aprendi tudo com a irmã Alice, uma enviada de Deus". A carne estava pronta, todos começam a comer. Nesse momento o silêncio invade o lugar, numa mistura de fome e constrangimento de comer pela primeira vez juntos, os unicos barulhos naquelaa mesa eram de bocas e talheres. Joana estava a reparar a forma que todos comiam e apos na sua casa, ela comentou de cada um para Paulo: " Tu viu como a Zuleica comia? De boca aberta, essa ai não teve educação em casa. E o Roberto é justo o contrario, quem diria, o açougueiro culto e a dona de floricultura grossa e biruta. E Louise, a coitada estava com fome ein! Não falou um minuto enquanto comiamos, mas pode ser que estava com vergonha, também os dois outros convidados são duas criaturas especiais, se é que você me entende. E você nem conseguiu comer tanto, o açougueiro não trouxe tanta carne assim, na minha opinião, quando tu convida os teus amigos para comerem, todos tem que se dar conta que a comida precisa sobrar, assim ninguem fica com vergonha de comer a vontade. O Roberto devia ter trazido mais carne. Sorte a nossa que a gente trouxe o vinho, não ficamos no compromisso da comida. Eu acho que a janta não foi organizada...". Paulo a escutou durante duas horas sem dizer nada. Depois da janta, Louise pegou mais uma garrafa de vinho e pos na mesa, ela serviu cada convidado, para acompanhar o vinho e para comer como sobremesa, Louise pegou duas barras de chocolate amargo. Se sentando na mesa ela pergunta a todos: "E então? Como faremos para descobrir a identidade do belo casal da foto?". manifestou-se Zuleica: "eu esperei esse momento para dizer que podemos chamar os espiritos do casal.". "Se eles estiverem mortos pode ser que eles respondam", debochou Roberto. O grupo descontrae, Louise achou interessante e diz que seria divertido de fazer um contato com o mundo dos mortos, mesmo se ela não acredita em nada, salvo em ETs. Paulo se levantou meio nervoso, pegou o quadro, o retirou da parede, olhou atras da foto e viu que tinha a data da fotografia, 10 de julho de 1952. "Bom, agora vamos acabar com essa bobagem, olhem aqui a data da foto!". "Poxa, e eu nem tinha visto isso!" Se indignou Louise. "Ah! Se temos a data da foto e se é uma foto de casamento, podemos ver na igreja quem é o casal.", disse Joana. "Essa semana mesmo posso ver isso...". Roberto interrompe: "Bom pessoal, acho que é uma curiosidade inutil. O que vai acrescentar para nossas vidas?". Paulo concorda com Roberto, mas não diz nada e as três mulheres o ignoram. Apos terminarem o vinho e o chocolate, todos se despedem, eles estavam mais descontraidos,mais alegres, ou seja, mais bêbados. A janta de Louise, acabou, o casal ainda é desconhecido, os personagens fazem seu primeiro contato,quem sabe o ultimo, devo continuar?

Um comentário:

  1. Muito bom, mistura de realidade e fantasia... ou sera tudo real mesmo?

    ResponderExcluir